Notícias Anteriores

a

Polo federal inicia em 2013 com eixo Engenharia Civil

 

NA MESA DE NEGOCIAÇÃO -- Durante o encontro na quinta, 25, (sentido horário)o pró-reitor do IFMG e o assistente, respectivamente, Lucas Carlúcio Magalhães e Cláudio Aguiar Vita, o diretor-presidente da FASPI Tatá Tomé, o diretor-geral Hilberto Carvalho de Lopes, o diretor do curso de Direito Charley Teixeira Chaves e a diretora da Escola Técnica de Formação Gerencial (ETFG) Darlênia Almeida Guimarães

 

Piumhi vai contar a partir de 2013 com um campus do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG). O acerto para a implantação do polo de ensino federal foi concluído na tarde da quinta, 25, durante encontro de dirigentes daquele centro universitário com o diretor-presidente da Faculdade São Francisco de Piumhi (FASPI) empresário Otacílio Gonçalves (Tatá) Tomé. Pelo acordo Tatá Tomé repassa as instalações da FASPI para abrigar o polo a ser instalado e mantido pelo IFMG que esteve na negociação representado pelo pró-reitor de extensão Lucas Carlúcio Magalhães e assessor de reitoria Cláudio Aguiar Vita.
 

Há cerca de dois anos que se falava em ‘federalização’ da FASPI com Tatá Tomé desde o início revelando sua disposição em abrir mão daquele patrimônio em troca da instalação do ensino federal em Piumhi. O projeto se vê agora viabilizado com o acordo com o IFMG que acontece sete meses depois da vinda à cidade do reitor Caio Mário Bueno Silva. Para Tatá Tomé a implantação do ensino superior federal é a garantia de uma educação de qualidade para a atual e futuras gerações de estudantes de Piumhi e região. Por outro lado, acena com agradáveis e novas perspectivas desenvolvimentistas para o município. ‘Nosso compromisso é transformar a cidade numa referência do ensino superior no interior mineiro e estamos bem próximo disso’, comemora Tatá Tomé.
 

O polo do IFMG estará centrado no eixo acadêmico da Engenharia Civil, adiantou o pró-reitor de extensão Lucas Carlúcio Magalhães. Com isso, além do curso superior de graduação nesta área com duração de 5 anos, está prevista também a instalação de cursos técnicos como o de Edificação (3 anos) e de formação profissonal continuada de pedreiros, eletricistas e técnico industrial com cargas de 150 a 200 horas-aula. A previsão é de que o centro possa entrar em operação com a realização de processo seletivo para turmas no segundo semestre de 2013.
 

O IFMG Piumhi deve contar com um corpo docente entre 30 e 60 professores, gerando cerca de 80 empregos diretos e outros 150 indiretos. Todos os cursos são gratuitos e oferecem aos acadêmicos outras vantagens como bolsas especiais para auxílio alimentação e transporte.
 

Com o polo federal instalado na FASPI o fim do curso de Direito pioneiro do ensino superior em Piumhi. Assegurada, entretanto, a formatura das turmas até então em funcionamento que não sofrerão qualquer mudança, como acertado com o IFMG, num acordo que segue sendo detalhado nas próximas semanas, embora de caráter irreversível.

 

Como um compromisso de palanque eleitoral se vê 12 anos depois materializado num polo universitário federal.